Nuvens com abertas

Quarta | 23 Maio

22C

30

21

A não perder < voltar

Angolanos cada vez mais apreciadores de vinhos portugueses

24/07/2017 | Fonte: SAPO | Vanessa Colaço

Miguel Grijó (ao centro) numa apresentação de vinhos

Vinho é tradição e a tradição de degustar e apreciar um bom vinho está cada vez mais enraizada nos hábitos dos angolanos. A procura pelos vinhos portugueses, especificamente, tem vindo a aumentar à medida que o produto chega em maior quantidade e diversidade ao nosso país e os preços se tornam mais acessíveis.

Os consumidores angolanos já têm, por isso, algumas características e preferências que as empresas procuram explorar.

“Angola é um mercado muito conhecedor dos vinhos portugueses, um mercado muito maduro e que, historicamente, acompanhou a evolução dos vinhos portugueses desde os anos 70”, explica Miguel Grijó da empresa exportadora de vinhos, Ivin.

Com 29 marcas de vinho à venda em Angola e uma experiência no mercado africano que remonta a 2010, Miguel sublinha algumas das mudanças no tipo de consumo em Angola. “Nota-se, nestes últimos anos, uma mudança. O mercado estava muito ligado a marcas ultra premium e agora começa-se a notar que o mercado está mais aberto a novas marcas porque há uma classe média que começou a consumir vinho. O vinho deixou de ser algo apenas de status e poder, e passou a ser algo digno de interesse e curiosidade geral”, afirma.

A comunidade portuguesa a viver em Angola teve um papel importante de embaixadora dos vinhos portugueses, o que contribuiu também para a abertura do mercado que, apesar de tudo, também sentiu os efeitos da crise.

O vinho tinto é a grande preferência dos angolanos, principalmente vinhos alentejanos. Mas a oferta desta empresa, que vende na cadeia Shoprite, abarca as diversas regiões de Portugal e vinhos com diferentes características. Ainda assim, acompanhando a tendência mundial, Miguel acredita que as preferências vão mudar.

“O mercado continua muito leal e muito concentrado nos vinhos tintos. O grau alcoólico continua a ser um factor de atracção e, durante muito tempo, as pessoas procuravam vinhos acima dos 14° ou 14,5°, mas a tendência mundial é que diminua o interesse por elevados graus de álcool. A procura do vinho branco é ainda muito pequenina, mas o clima e a gastronomia angolana (o peixe, o marisco, o frango, etc.) vão fazer com que se procure mais o vinho branco”, explica.

Actualmente, a maior aposta da marca para esta diversificação é o vinho Maria Saudade. Um vinho branco vincadamente português, proveniente da região do Minho e dos Vinhos Verdes e que, na sua imagem, recupera os tradicionais lenços dos namorados.

A Ivin é uma empresa portuguesa que se dedica à produção e distribuição de vinhos e exporta vinhos de diferentes nacionalidades para cerca de 15 países, incluindo Angola. A empresa chegou à África do Sul em 2010, onde firmou uma parceria com a cadeia de supermercados Shoprite. Desta forma, acabou por dar o salto para o mercado angolano, onde tem os seus produtos em 30 lojas da cadeia e os disponibiliza a preços que variam entre os 1000 e os 3500 kwanzas.

Comentários