Nublado

Domingo | 8 Dezembro

31C

32

25

Descubra o País < voltar

A Arte a Celebrar a Paz

16/05/2014 | Fonte: © Austral, Revista de Bordo da TAAG (Maio/Junho 2014)

© Revista Austral

O lançamento de 12 mil balões brancos terá sido o acto mais belo e simbólico a festejar os coincidentes 12 anos de paz efectiva em Angola, assinalados a 4 de Abril. Os balões foram lançados do alto do Museu das Forças Armadas, antiga Fortaleza de S. Miguel, com cenário de fundo proporcionado pelas águas da baía de Luanda.

Centenas de cidadãos obedeceram ao gesto simultâneo de lançamento dos balões da côr da paz a partir daquele monumento, que já foi símbolo de guerra, mas que agora alberga o seu espólio. Mas a celebração da paz foi um hino a todas as vertentes da arte, envolvendo teatro, fotografia, cinema, música, artes plásticas, moda e gastronomia.

No capítulo do teatro, um festival de âmbito nacional estendeu-se por vários dias na sede da LAASP, em Luanda, com entusiástica participação do público em reconhecimento ao bom desempenho dos actores. Com temática assente evidentemente na paz, o "Festipaz 2014", o quarto do género, decorreu em sessões bidiárias com a participação de grupos de teatro de Luanda, Benguela, Bengo, Bié, Kuanza-Norte, Kuanza-Sul e Kuando-Kubango, com comprovada evolução artística.

Entretanto, "Angola, os Caminhos do Desenvolvimento" foi o título da exposição fotográfica a traduzir o percurso do país desde o alcance definitivo da paz. A praça central do Belas Shopping, em Luanda, mostrou um substancial número de fotos das várias etapas e facetas do desenvolvimento de Angola, ao longo de 12 anos de paz efectiva. A organização esteve a cargo dos Ministérios da Administração do Território e da Comunicação Social, com fotos da Associação dos Repórteres de Imagem de Angola (ARIA).

Por seu lado, a Baía de Luanda foi palco de dois dias de contínuos e ritmados espectáculos musicais, com a cor branca a sobressair nas vestimentas da imensidão de espectadores e artistas, entre os quais Patrícia Faria, Karina Santos, Ary, Sandokan, Edmásia, Leo, Yola Araújo, Pérola e Heavy C. Outro evento que atraiu imenso público foram as denominadas "Feiras da Paz", realizadas em Luanda e em outras cidades, mostrando as potencialidades dos diversos ramos das respectivas regiões do país.

Os festejos atravessaram os marcos fronteiriços do país e tiveram lugar um pouco por todos os lugares onde residem angolanos, sob os auspícios das Embaixadas de Angola. No caso do Brasil, a Embaixada angolana em Brasília e o brasileiro Cine Group realizaram sessões de cinema, literatura, música, artes plásticas, fotografia, gastronomia e moda. O Museu Nacional de Brasília acolheu arte contemporânea dos artistas plásticos António Ole, Francisco Van-Dúnem e Etona; um desfile de moda da estilista Nadir Tati; a exposição fotográfica "Angola na Rota do Progresso", de Walter Fernandes; a exibição da curta-metragem "Angola, 12 anos de paz"; palestras sobre a história da literatura angolana; Gastronomia do especialista João Gonçalves ­ manifestações da arte a celebrar a paz.

Comentários