Muito nublado

Segunda | 15 Outubro

28C

29

24

Descubra o País < voltar

O Cristo-Rei do Lubango

Jesus de braços abertos

01/11/2010 | Fonte: © Austral, Revista de Bordo da TAAG (Novembro/Dezembro 2010)

Vídeos

É uma enorme estátua dedicada a Jesus Cristo, de braços abertos, erguida a 2.100 metros de altura no cimo da serra da Chela. A partir do seu miradouro, pode-se abraçar por inteiro a linda capital da província da Huíla e contemplar provavelmente o pôr-do-sol mais belo de Angola.

O Cristo-Rei do Lubango é um monumento concebido na década de 50 pelo engenheiro português da Ilha da Madeira Frazão Sardinha, inspirado em estátuas similares que se erguem nas cidades do Rio de Janeiro (Brasil) e Lisboa (Portugal). Está na iminência de fazer parte da lista do Património Cultural Mundial.

A estátua integra um vasto leque de obras feitas pelas mãos dos homens que emolduram a cidade que já se chamou Sá da Bandeira até 1975, tais como a Catedral, que remonta à década de 1930, a esplendorosa zona da Nossa Senhora do Monte e a serpenteada estrada da serra da Leba. E o que dizer das obras da natureza? Segundo registos históricos, o início da fundação da cidade de Sá da Bandeira data de 1885 por colonos da ilha portuguesa da Madeira, provenientes da vizinha região de Mossâmedes, que ficaram inebriados com uma das regiões mais belas de Angola.

Mas os primeiros contactos europeus com as terras daquele planalto sulano angolano remontam ao ano de 1627, de acordo também com os registos históricos, que acrescentam que em 1769 os portugueses consolidaram a sua presença com a criação do presídio de Alva Nova. Apenas em Janeiro de 1885, os madeirenses deram início à fundação da colónia de Sá da Bandeira.

O planalto da Huíla teve sempre portanto uma forte presença colonial (ainda hoje se diz que essa é a região “mais branca” de Angola), tornando-o numa das excepções à regra, tendo em conta a apetência da colonização pelo litoral.

Essa forte e longa presença colonial levou à construção de monumentos e outras edificações de pendor cultural português na cidade, como a estátua de Cristo-Rei, a Catedral com a figura da mãe de Jesus, a zona de Nossa Senhora do Monte com verdejante jardim e repuxos de água, mas também o Liceu Diogo Cão e a Escola Industrial e Comercial Artur de Paiva.

São esses monumentos e sítios, entre os quais a estátua de Cristo-Rei, que poderão constar da lista do Património Mundial, de acordo com especialistas da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), que já efectuaram um estudo acerca do assunto.

É que a estátua já faz parte dos monumentos, sítios e zonas turísticas classificados pelas autoridades angolanas como Património Nacional, juntamente com os edifícios do antigo Palácio do Governo e da Assembleia Provincial, o Templo da Missão da Huíla, os Barracões, a antiga Estação dos Caminhos
de Ferro de Moçâmedes e a Praça Dr. Agostinho Neto.

Entre as obras da natureza (sítios e zonas turísticas) classificadas também como Património Nacional, os realces vão para a Fenda da Tundavala, a Cascata, as Grutas do Tchivinguiro e o Miradouro da Boca da Humpata.

A cidade que acolhe a estátua de Cristo-Rei possui clima temperado, podendo-se lá chegar através das rotas internacionais da TAAG Lisboa-Luanda-Lubango e Windoek-Lubango, mas também utilizando outras carreiras regulares regionais. Por via terrestre, o Lubango está ligado por estrada às cidades do Huambo, Benguela, Namibe e Cunene (vizinha da Namíbia).

Comentários