Nublado

Segunda | 21 Outubro

31C

32

25

Descubra o País < voltar

Nas águas do Rio Kwanza

01/05/2011 | Fonte: © Austral, Revista de Bordo da TAAG (Maio/Junho 2011)

Fotos

Fotos: Arquivo Grupo Ritz

Fotos

  • Barco Ritz Muxima
  • Barco Ritz Muxima
  • Barco Ritz Muxima
  • Barco Ritz Muxima
  • Barco Ritz Muxima
  • Barco Ritz Muxima
  • Barco Ritz Muxima
  • Barco Ritz Muxima
  • Barco Ritz Muxima
  • Barco Ritz Muxima
  • Foto: Ritz Angola
  • Foto: Ritz Angola
  • Foto: Ritz Angola
  • Foto: Ritz Angola
  • Foto: Ritz Angola
  • Foto: Ritz Angola
  • Foto: Ritz Angola
  • Foto: Ritz Angola
  • Um passeio que vai transportá-lo pelas belezas naturais do rio Kwanza... Foto: Ritz Angola

Barco Ritz Muxima1 de 19

Experimente um fim-de-semana diferente, aprazível e sereno, navegando nas águas do Rio Kwanza, o maior rio exclusivamente angolano, por entre vegetação luxuriante.

As águas do Kwanza atravessam quase todo o território angolano – um curso de 960 quilómetros de um rio com tal importância para a vida do país, que inspirou a atribuição do seu nome à moeda nacional. O rio nasce em Muembué, município do Chitembo, Província do Bié, no Planalto Central de Angola, desenha uma grande curva para Norte e para Oeste, antes de desaguar no Oceano atlântico, na Barra do Kwanza, a cerca de 70 quilómetros a Sul de Luanda.

Na Marina da Barra do Kwanza, aprazível local turístico, o navio Ritz Muxima aguarda pelos visitantes, com as suas confortáveis quatro cabines com cama de casal e casa-de banho privativas, para além do deck da ré, onde até quatro posições de pesca são possíveis.

No piso inferior, o barco dispõe de uma sala de estar com televisão e DVD’s para o serão, levando o selo da experiência hoteleira do Grupo Ritz, que no piso superior pode também servir aniversários, festas de empresas ou cocktails de embaixadas, desde que previamente encomendados para o efeito.

Os fins de semana são abençoados com um passeio pelo rio, numa viagem por entre a diferente vegetação que ornamenta as margens do Kwanza para o interior do Parque Nacional da Kissama (área protegida para preservação de ecossistemas), com mangais, mata densa, savana, árvores dispersas,
cactos, imbondeiros e grandes zonas de arvoredo.

Não é de estranhar que tal variedade de vegetação resulte numa fauna abundante e variada no Parque da Kissama (9.600 quilómetros quadrados), onde podem ser avistados elefantes, girafas, diversos antílopes, avestruzes e enorme variedade de aves aquáticas, não faltando flamingos, garças, patos e pelicanos

A área costeira é ponto de desova de tartarugas marinhas, mas a grande atracção são as focas do rio, romanticamente conhecidas por Sereias, dada a particularidade de amamentação das suas crias, como faz questão de explicar o comandante Necas, que conhece como as palmas da mãos o passado
e o presente do Rio Kwanza.

É o comandante Necas quem vai ao leme do Ritz Muxima, transportando os passageiros em passeio ao longo do curso navegável do rio, que também pode levá-lo até à Muxima (dois dias de navegação), apreciando e fotografando as imagens do percurso, enquanto a tripulação cuida do seu bemestar. Programe as suas refeições para que seja servido pela excelente tripulação.

E o bem-estar é também proporcionado em forma de um buffet servido a bordo, ao sábado e ao domingo, quando o Ritz Muxima não está alugado, onde se pode encontrar lagosta, gambas, salgados e ainda pratos quentes, entre os quais se encontram leitão à Bairrada, arroz de pato à angolana, calulú, a par dos queijos, frutas (incluindo uva angolana, já à venda nos principais supermercados) e doçaria.

Se for programado, também serão servidas refeições no deck superior, que dispõe de zona de mesas, bar e de um jacuzzi, onde não faltam as bebidas acompanhantes, entre as quais o vinho angolano XXila, oriundo da Fazenda Rancho de Santa Maria, a 30 quilómetros da cidade do Calulu, nas suas variantes branco e tinto.

Assim, de forma única, as pessoas podem conhecer o Rio Kwanza, com a sua bacia hidrográfica de 152.570 quilómetros quadrados, sendo navegável por 258 quilómetros, desde a foz até ao Dondo. As barragens de Cambambe e de Capanda produzem grande parte da energia eléctrica consumida
em Luanda. As barragens também fornecem água para irrigação de culturas no vale do Kwanza.

É no maior afluente do Kwanza, o rio Lucala, onde se encontram as grandes Quedas de Kalandula, localizando-se na sua foz o Parque Nacional da Kissama. O rio Kwanza foi o berço do antigo Reino do Ndongo, tendo sido uma das vias de penetração dos portugueses em Angola no século XVI. O rio dá
ainda o seu nome a duas províncias: Kwanza-Norte, na sua margem Norte, e Kwanza-Sul, na margem oposta.

Comentários