Nublado

Segunda | 22 Julho

31C

32

25

Descubra o País < voltar

Viagem ao Waku Kungo, o início

Um passeio longo, mas agradável

13/10/2011 | Fonte: Por Mayra Fernandes

Fotos

Fotos: Mayra Fernandes | Viagem ao Waku Kungo, o início

Fotos

  • Cidade do Dondo. Kwanza Norte. Foto: Mayra Fernandes
  • Sindicato da Sopa, restaurante em Waku Kongo. Kwanza Sul. Foto: Mayra Fernandes
  • Sindicato da Sopa. Foto: Mayra Fernandes
  • Sindicato da Sopa. Foto: Mayra Fernandes
  • À saída do Dondo. Kwanza Norte. Foto: Mayra Fernandes
  • À saída do Dondo. Kwanza Norte. Foto: Mayra Fernandes
  • Rio seco a caminho do Dondo. Kwanza Norte. Foto: Mayra Fernandes
  • Rio Kwanza, no Dondo. Kwanza Norte. Foto: Mayra Fernandes
  • Rio Kwanza, no Dondo. Kwanza Norte. Foto: Mayra Fernandes
  • Jardim da Igreja de Nossa Senhora da Assunção. Waku Kungo. Kwansa Sul. Foto: Mayra Fernandes
  • No jardim da Igreja de Nossa Senhora da Assunção. Waku Kungo. Kwansa Sul. Foto: Mayra Fernandes
  • Jardim da Igreja de Nossa Senhora da Assunção. Waku Kungo. Kwansa Sul. Foto: Mayra Fernandes
  • No Kwanza Norte, verde, com os seus embondeiros a contornar a estrada. Foto: Mayra Fernandes.
  • Igreja Nossa Senhora da Assunção. Waku Kungo. Kwanza Sul. Foto: Mayra Fernandes
  • Átrio da igreja de Nossa Senhora da Assunção. Waku Kungo. Kwanza Sul. Foto: Mayra Fernandes
  • Igreja Nossa Senhora da Assunção. Waku Kungo. Kwanza Sul. Foto: Mayra Fernandes
  • Igreja Nossa Senhora da Assunção. Waku Kungo. Kwanza Sul. Foto: Mayra Fernandes
  • Igreja Nossa Senhora da Assunção. Waku Kungo. Kwanza Sul. Foto: Mayra Fernandes
  • Hotel Ritz em Waku Kungo. Kwanza Sul. Foto: Mayra Fernandes
  • Hotel Ritz em Waku Kungo. Kwanza Sul. Foto: Mayra Fernandes
  • Estrada Dondo - Calulu. Kwanza Norte. Foto: Mayra Fernandes
  • Pela estrada do Camama. Foto: Mayra Fernandes
  • A saída de Luanda faz-se pela estrada do Camama. Luanda. Foto: Mayra Fernandes
  • Escola Primária de Waku Kungo. Kwanza Sul. Foto: Mayra Fernandes
  • Escola Primária de Waku Kungo. Kwanza Sul. Foto: Mayra Fernandes
  • Escola Primária de Waku Kungo. Kwanza Sul. Foto: Mayra Fernandes
  • Cidade do Dondo, segunda cidade da província de Kwanza Norte. Foto: Mayra Fernandes
  • Pôr-do-sol no Dondo. Kwanza Norte. Foto: Mayra Fernandes
  • Cidade do Dondo. Kwanza Norte. Foto: Mayra Fernandes
  • Edifício da Divisão financas de Waku Kungo. Kwanza Sul.Foto: Mayra Fernandes
  • Comando Municipal de Waku Kungo. Kwanza Sul.Foto: Mayra Fernandes
  • Centro Cultural Agostinho Neto, em Catete. Bengo. Foto: Mayra Fernandes
  • Catete, a terra onde nasceu Agostinho Neto. Bengo. Foto: Mayra Fernandes
  • Casa em Waku Kungo. Kwanza Sul. Foto: Mayra Fernandes
  • Casa em Waku Kungo. Kwanza Sul. Foto: Mayra Fernandes
  • Kitandeiras à beira da estrada a caminho para o Dondo. Foto: Mayra Fernandes
  • Edifício do BPC na cidade do Dondo. Kwanza Norte. Foto: Mayra Fernandes
  • Paisagen à beira do rio Kwanza no Dondo. Kwanza Norte. Foto: Mayra Fernandes
  • À beira rio Kwanza no Dondo. Kwanza Norte. Foto: Mayra Fernandes
  • À beira rio Kwanza no Dondo. Kwanza Norte. Foto: Mayra Fernandes
  • À beira rio Kwanza no Dondo. Kwanza Norte. Foto: Mayra Fernandes
  • À beira rio Kwanza no Dondo. Kwanza Norte. Foto: Mayra Fernandes
  • À beira rio Kwanza no Dondo. Kwanza Norte. Foto: Foto: Mayra Fernandes
  • A paisagem à beira rio Kwanza no Dondo. Kwanza Norte. Foto: Mayra Fernandes
  • Marginal, ex-libris da cidade do Dondo, à beira rio Kwanza. Kwanza Norte. Foto: Mayra Fernandes
  • À beira rio Kwanza no Dondo. Kwanza Norte. Foto: Mayra Fernandes
  • À beira rio Kwanza no Dondo. Kwanza Norte. Foto: Mayra Fernandes

Cidade do Dondo. Kwanza Norte. Foto: Mayra Fernandes1 de 47

De Luanda ao Waku são 5 horas de distância, numa condução segura e prudente. O ideal é sair antes das 15 horas. Afinal ainda não é aconselhável conduzir à noite, devido à pouca iluminação.
 
Prepare-se, é uma viagem longa, mas agradável, com paragens obrigatórias em alguns pontos que tornam este percurso interessante. Abasteça antes de sair de Luanda. Prepare um lanche e compre água. No caminho vai encontrar coisas mas sem garantias de que são o que está à procura.
 
As kitandeiras à beira da estrada vendem fruta, legumes, carvão, lenha, são alguns dos produtos à disposição. Contudo, aqui não há preços fixos, o preço das coisas inflaciona consoante o carro que  o viajante conduz.
 
Ainda na provincial de Luanda, entre os verdes e a evolução está a Zona Económica Especial onde podemos ver também a infraestrutura para o novo aeroporto de Luanda. Para lá do portão só podemos adivinhar um empreendimento que vai aliviar o aeroporto 4 de Fevereiro e que está a ser construído por chineses.
 
A saída de Luanda faz-se pela estrada do Camama, seguindo pela estrada de Catete no sentido Catete, a terra onde nasceu Agostinho Neto. Chega-se a Catete em 30 minutos.
 
O município que antigamente pertencia ao Bengo, agora faz parte de Luanda.
 
Como cartões de visita, à entrada da vila, estão o busto de Agostinho e o Parque do Centro Cultural Agostinho Neto, um edifício espelhado que se destaca no meio das casinhas baixas como que inspiradas nas velhas kubatas.
 
Neste caminho uma especial atenção para os desvios  para o Bom Jesus, onde uma das atracções é a fábrica da Coca Cola e para Mazozo.
 
Não se pode ignorar os embondeiros pintados de um  verde vivo, alface, que compõem um quadro extraordinário.
 
Atravessar o Bengo demora uma hora. Deixamos essa província e entramos no Kwanza Norte, verde, com os seus embondeiros a contornar a estrada.
 
Este início é a zona mais perigosa do  percurso por ter curvas muito apertadas e íngremes.
Dizem que há macacos por aqui, a fazerem-nos companhia pela viagem, mas não os vi. “Eles só aparecem no fim do dia”, contaram-me.

É uma zona rural. Algumas aldeias decoradas a barro vão entretendo a paisagem, alternando-se com as bananeiras, que de vez a vez surgem carregadas.
 
Aqui sim vive a civilização, o silêncio.

© www.sapo.ao

Comentários