Nublado

Quarta | 19 Dezembro

31C

32

25

Notícias < voltar

Turistas clamam pela recuperação do Miradouro da Lua

20/03/2018 | Fonte: ANGOP

Turistas angolanos e estrangeiros reclamam pela recuperação urgente do Miradouro da Lua, no distrito dos Ramiros, município de Belas, em Luanda, que se encontra em avançado estado de degradação e abandono.


Eleita em 2015 como uma das sete maravilhas naturais de Angola, a zona turística apresenta, neste momento, um progressivo estado de deterioração devido a uma ravina que avança para o centro da zona e grande quantidade de lixo doméstico depositado no local.

O Miradouro da Lua faz parte do imaginário e é um ponto turístico de paragem obrigatória.
Trata-se de um conjunto de falésias, a 40 quilómetros a sul de Luanda. Ao longo do tempo a erosão provocada pelo vento e pela chuva foi criando a paisagem de tipo lunar que ali se encontra.

O turista português Emanuel Nunes disse à Angop, que habitualmente, aos fins-de-semana, parava no Miradouro, pois é uma vista deslumbrante e é caminho das praias como a da Barra do Kwanza, Cabo Ledo e Sangano, mas deixou de frequentar o local devido o seu mau estado.

 “ As falésias são lindas. Quando passava pela zona não deixava de visitar, valia a pena tirar fotografias e apreciar a vista soberba e incrivelmente bonita. África tem sítios muito bonitos e este é um deles”, elogiou, Manecas Pinheiro, também português.

Por sua vez a angolana Maria Eugenia lamentou o actual estado do local, tendo considerado que mais que um simples Miradouro, é uma maravilha da natureza inesquecível.
Para o cubano Rodriguez Mercedez, “ o Miradouro é um dos locais mais lindos do mundo, de cortar a respiração. É incrível e de perto é muito melhor que nas fotos que vemos na internet, recomendo vivamente a visita, principalmente ao final do dia”.

O engenheiro de construção civil, Edsom Gomes, referiu que neste momento a ravina está a progredir rapidamente devido as fortes chuvas que se abatem nos últimos dias na região, então deve ser feito um trabalho técnico profundo para a sua contenção, caso contrario poderá atingir a estrada nacional e engolir o local.

O ambientalista Carlos Alberto de Almeida afirma ser importante reter-se que a vegetação exerce a função de conter a força das águas e dos ventos e actua como uma espécie de obstáculo, ajudando a manter a firmeza do solo, devendo exisitir alguma uma atenção para este facto.

Em Dezembro de 2017, a ministra da Hotelaria e Turismo, Ângela Bragança, defendeu durante uma visita efectuada a sul de Luanda, a interdição do Miradouro da Lua, por apresentar sinais de degradação.

A ministra assegurou por outro lado, que a zona poderá beneficiar de obras este ano.

No ano anterior um levantamento foi feito por especialista do Ministério do Turismo e Hotelaria, no sentido de elaborar um projecto para a recuperação de centros turísticos de Luanda, em estado degradação incluindo o Miradouro da Lua.

O Miradouro da Lua já foi cenário de filmes de realizadores nacionais e estrangeiros, com realce para o português Jorge António, a primeira co-produção cinematográfica luso-angolana, rodada em 1993 e que obteve o prémio especial realização no Festival de Gramado, no Brasil.

Situado nas proximidades da estrada nacional número 100, oferece uma vista única sobre o Oceano Atlântico, cujo azul contrasta com o laranja, com uma paisagem quase lunar.

Comentários