Nublado

Quarta | 19 Dezembro

31C

32

25

Viva Angola < voltar

Angola

Beleza e raridade caracterizam todos os cantos deste país

24/03/2009 | Fonte: Por Mayra Prata Fernandes

De Cabinda ao Cunene, Angola é misteriosa, simples ao mesmo tempo, de gentes e costumes apaixonantes e sem sombra de dúvida um destino obrigatório. Beleza e raridade caracterizam todos os cantos deste país da África Austral:

O mar que beija a areia em Luanda, a vista da marginal, as acácias rubras que dão cor a Benguela, a beleza irresistível da Serra da Leba no Lubango, as exuberantes Pedras de Pungo Andongo em Malange ou a welwitschia mirabilis, indescritível planta do deserto do Namibe são uma ínfima parte do que a natureza angolana tem para oferecer.

Angola tem algumas áreas protegidas como os parques nacionais, nos quais também estão espécies animais em vias de extinção, como o rinoceronte preto na reserva do Kuando Kubango.

As coutadas proporcionam ao nosso imaginário momentos únicos, de cheiros e sons que ultrapassam o que a vista pode alcançar. Despertam o verdadeiro espírito de quem aprecia o safari.

Vale a pena apurar os sentidos para absorver o chilrear das aves, o rugir dos leões, o movimento das manadas de zebras, de elefantes, de antílopes, os banhos dos hipopótamos, os crocodilos no seu cochilo, entre muitos outros pormenores.

Mas o país da Palanca Negra não é só paisagem. Em Angola vive-se a música e a dança como um bem essencial.

Aqui o povo sabe e gosta de se divertir, reunir no quintal à tarde ou procurar as melhores discotecas para dar as passadas, os toques da kizomba e do kuduro (os estilos que mais animam as festas).

Rica em artesanato, a cultura angolana é também representada pelo “Pensador”, uma peça, feita em pau preto, que representa um ancião com a cabeça entre as mãos – em Angola o mais velho é quem tem a sabedoria, os bons conselhos.

Nas telas as cores são quentes, predomina o laranja, o vermelho, a cor da savana e por norma vemos representados máscaras, homens e mulheres nas lavras ou pescadores. Na literatura a prosa e a poesia contam os hábitos, retratam o quotidiano, valorizam a identidade angolana, registam os contos tradicionais que muitos séculos antes eram contados à volta da fogueira.

Luanda é uma cidade de agitação, com fulgor, multicultural e propícia aos negócios. Comparada a muitas cidades da Europa e até dos Estados Unidos, tem o divertimento, os hotéis, os restaurantes para todos os gostos e acima de tudo os dias diferentes: todos os dias “nasce” um empreendimento.

Vive-se um momento de progresso e o investimento é bem-vindo. 

Vir a Angola é experimentar os sons, os ritmos, os sabores. É procurar História e encontrar a Rainha Ginga, é procurar segredos e encontrar a arte rupreste do neolítico, nas cavernas de Tchitundo-Hulu, é sentir o cheiro da terra molhada em Dezembro, dançar o kabetula em Fevereiro, é sentir a tradição misturada com a modernidade, é viver em constante alegria.

©www.sapo.ao

 

Datas comemorativas

Janeiro
Dia 4 - Massacre da Baixa de Kassange
Dia 25 - Dia da Cidade de Luanda

Fevereiro
Dia 4 - Início da Luta Armada

Setembro
Dia 17 - Dia do Herói Nacional - Dr. Agostinho Neto

Novembro
Dia 11 - Dia da Independência

Como Ir

Angola tem um Aeroporto Internacional (4 de Fevereiro) em Luanda, onde várias companhias aéreas internacionais, bem como, a companhia de bandeira, a TAAG – Angola Airlines, operam para garantir a comunicação de Angola com o exterior.

Os acessos às províncias podem ser feitos por via aérea, pois Angola tem uma rede de aeroportos cobrindo todo o território. Nas principais capitais encontram-se aeroportos asfaltados, mas a maior parte é de terra batida.

A chegada por via marítima é assegurada pelos portos de Luanda, Lobito e Namibe. Angola possui três linhas ferroviárias que ligam os principais portos marítimos com o interior, mas as operações estão, actualmente, limitadas devido a danos causados pela guerra e falta de manutenção.

Os acessos rodoviários podem ser feitos através de uma rede de estradas espalhadas pelo país, estando em curso obras de melhoramento das estradas nacionais que estão em mau estado de conservação e interrompidas em vários trechos.

Comentários